Facebook
8 de novembro de 2017 - Em:

Prefeitura mantém ação objetivando conter focos de incêndio no lixão

Com a utilização dos meios que estão disponíveis na instância do Poder Público, a Prefeitura do Assú permanece atuando com o objetivo de evitar o alastramento do fogo que eclodiu na área na qual é depositado o lixo urbano recolhido diariamente no município. Após requisitar o apoio logístico da unidade do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte-CBM/RN, em Mossoró, a atividade continua, agora, com o uso de carro-pipa a fim promover o resfriamento dos espaços nos quais a combustão espontânea mostra-se menos intensa.

“A tarefa está sendo feita de maneira contínua e a intenção é impedir que haja a expansão do fogo”, declarou o secretário de Serviços Públicos, Samuel Fonseca. Ele frisou que, infelizmente, é um problema que vem sendo repetido há anos e que só será completamente dirimido com a desativação do lixão e a implantação do Aterro Sanitário. De acordo com o secretário de Obras Públicas, Marcelo Galvão, a administração vem dando celeridade ao projeto e a licitação com tal fim deverá ocorrer por todo este mês.

Ele ressaltou que o processo administrativo está em fase conclusiva para, depois, ser remetido à Comissão Permanente de Licitação-CPL. A dotação orçamentária para a estrutura foi estimada em R$ 221.000,00 (Duzentos e vinte e um mil reais). O secretário de Meio Ambiente, Jonaelson Medeiros, adiantou que, junto com a remessa da matéria à CPL, a Prefeitura deverá providenciar a solicitação do licenciamento ambiental ao Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente-IDEMA/RN para a execução da obra física.

O prefeito Gustavo Soares definiu este empreendimento entre as prioridades de seu governo. Seguindo esta diretriz, dia 11 de outubro ocorreu um encontro de trabalho com a presença de vários membros da gestão. O propósito foi traçar o calendário de atividades com foco na execução dos pontos delineados no Termo de Ajustamento de Conduta-TAC, pactuado entre a administração e o Ministério Público, voltado para o Aterro. Localizado na zona rural, o terreno selecionado pelo Executivo para acolher o investimento já foi visitado pelo Ministério Público.

 Imagens: Alex Silva/Assessoria