Facebook
31 de dezembro de 2019 - Em:

Ações do Dezembro Vermelho mobilizaram toda a estrutura de saúde do Assú

Dezembro marca a luta e conscientização no combate à AIDS em Assú e, neste contexto, a Secretaria Municipal de Saúde promoveu ao longo do mês várias ações da campanha Dezembro Vermelho nas Unidades Básicas de Saúde – UBSs dos setores urbano e rural. Durante as palestras ministradas nos postos de atendimento, profissionais da Enfermagem explicaram a ação do vírus HIV no corpo, a forma como afeta a resposta imunológica, as diferentes fases de desenvolvimento da doença e importância da realização do teste rápido, que é oferecido gratuitamente pelo município.

 

Os técnicos explanaram aos usuários da saúde pública municipal que a realização do teste rápido permite pessoas que foram expostas a comportamentos de risco como relação sexual sem preservativo, compartilhamento de seringa e materiais cortantes com a presença de sangue ou outros fluídos contaminados, que detectem ou não a presença do HIV. Isso porque quanto mais cedo o vírus for descoberto, mais cedo a pessoa pode iniciar a Terapia Antirretroviral – TARV, podendo evitar que a infecção evolua para AIDS. Através do teste rápido também é possível identificar infecções como sífilis e hepatite B e C.

 

“Evitar a doença não é difícil. Basta usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar seringa, agulha e outro objeto cortante com outras pessoas. O preservativo está disponível na rede pública de saúde”, explica o enfermeiro Igor Fernandes, membro do corpo técnico da Secretaria Municipal de Saúde, reforçando que “a camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS, e alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo. Além disso, evita uma gravidez não planejada. Por isso, use camisinha sempre”.

 

Porém, o preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV. Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema imunológico, ele previne contra a reinfecção pelo vírus causador da AIDS, o que pode agravar ainda mais a saúde da pessoa. “Nós fizemos o Setembro Amarelo, de alerta sobre o suicídio; depois o Outubro Rosa, de combate ao câncer mama; continuamos com a campanha Novembro Azul, de alerta ao câncer de próstata; e, estamos fechando o ano de 2019 com o Dezembro Vermelho, cujo enfoque são as infecções sexualmente transmissíveis – ISTs”, comentou a secretária municipal de Saúde, Viviane Lima da Fonseca.

 

Imagens: Igor Fernandes



 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras