Facebook
17 de outubro de 2017 - Em:

Prefeito apresenta balanço lúcido dos dez primeiros meses de administração

Convidado pela direção da emissora, o prefeito Gustavo Montenegro Soares ocupou os microfones da Rádio Princesa do Vale durante uma hora, nesta segunda-feira, dia 16, acontecimento que fez parte de sua agenda no contexto da programação do aniversário de 172 anos do município do Assú. O chefe do Executivo pautou seu pronunciamento num completo relato destes dez meses de seu primeiro ano à frente do governo municipal. Gustavo Soares registrou de maneira sóbria todo o cenário da Prefeitura, de janeiro até agora.

O gestor iniciou sua fala expondo uma análise de como se deparou com a administração em 1º de janeiro, encontrando uma série de obstáculos que, naturalmente, provocaram o retardamento da implementação de seu plano de trabalho, visto que houve necessidade de agir com o objetivo de superar a completa desestruturação encontrada na máquina pública. Gustavo Soares frisou que, em decorrência de tal situação, o governo se impôs um prazo de seis meses para trabalhar a reversão do panorama de sucateamento encontrado.

O prefeito ressaltou que, mesmo diante de um quadro absolutamente adverso, foi possível encaminhar algumas realizações. Recordou a decisão de quitar a folha do pessoal da Educação e Cultura e da Saúde, relativa a dezembro/2016, que foi herdada da gestão passada, fazendo com que, em 40 dias, seu governo tenha quitado nada menos que duas folhas de pagamento. “Fizemos isso [o pagamento] em atenção aos servidores, mas foram recursos que poderiam ter sido aplicados em realizações como, por exemplo, pavimentação de várias ruas”, declarou.

Gustavo Soares reiterou que seu governo fixou como prioridade a valorização do servidor efetivo do município, mas destacou que o concurso público realizado pela gestão antecessora – embora importante – não se preocupou em produzir o impacto financeiro de tal ato, além de ter patrocinado a convocação de aprovados além do número de vagas disponibilizado em edital. Isso gerou como consequência o comprometimento do Limite Prudencial com a folha de pagamento de pessoal, problema que está sendo enfrentado pela administração atual.

Prosseguindo, o prefeito destacou que, apesar dos pesares, os compromissos com os servidores estão rigorosamente em dia, registrando que há um esforço para concluir o exercício com todas as dívidas encontradas devidamente quitadas. Disse que para garantir o restabelecimento do equilíbrio fiscal, têm sido adotadas medidas que visam reduzir as despesas. Citou o Decreto recém-editado que reduz – até o fim do ano – em 15% (quinze por cento) os proventos do prefeito, vice, secretários executivos, secretários, adjuntos e consultores; e, em 10% (dez por cento) os demais cargos em comissão, à exceção do que já representa o valor do salário mínimo.

Concluindo, Gustavo Soares refletiu que é preciso que todos tenham a cautela de evitar julgamento precipitado da administração. “Estamos a apenas dez meses de governo, e fomos eleitos para quatro anos, portanto, só devemos ser julgados ao final do mandato”, lembrou. Continuando, o chefe do Executivo enumerou uma série de ações e obras já concretizadas, projetando que, em breve, a Prefeitura poderá trazer a público um pacote de realizações, uma vez que as barreiras que dificultaram a operacionalização da estrutura pública a contento. “Vamos manter a confiança e a convicção de que estamos no caminho certo e daremos resposta favorável à população do Assú”, encerrou.

 Imagens: Alex Silva/Emanuel Farias



 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras