Facebook
5 de fevereiro de 2016 - Em:

Todos juntos contra o Aedes Aegypti

Além da dengue, o Aedes aegypti transmite, também, a Chikungunya e o vírus Zika, que pode causar microcefalia em bebês. A doença representa uma grave emergência de saúde pública que pode afetar uma geração de crianças e o futuro do país, motivo pelo qual se faz necessário um esforço coletivo na missão de combate ao mosquito.

De acordo com o Informe Epidemiológico nº11/2016, até 30 de janeiro o Brasil já notificou 4.783 casos de microcefalia, com 404 casos confirmados. No Rio Grande do Norte, já são 232 casos notificados, e 63 confirmados.

O Ministério da Saúde orienta: O ciclo de reprodução do mosquito Aedes aegypti, do ovo à forma adulta, pode levar de 5 a 10 dias. Por isso, é preciso estar atento. Um balde esquecido no quintal ou um pratinho de planta, após uma chuva, podem facilmente se tornar um foco do mosquito e afetar toda a vizinhança. É importante verificar se a caixa d’água está vedada, pneus sem água e em lugares cobertos, garrafas e baldes vazios e com a boca virada para baixo, entre outras pequenas ações que podem evitar o nascimento do mosquito.

Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde do Assú reforça:

 NÃO DÊ FOLGA PARA O MOSQUITO DA DENGUE!

SEACOM



 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras